Apesar de já ter mais de 50 anos de existência, o sistema consorcial brasileiro ainda tem predicados e vantagens desconhecidas por grande parte da população. Um desses benefícios é poder usar o FGTS no consórcio de imóvel residencial para ofertar lance, complementar a carta de crédito, amortizar ou liquidar parte do saldo devedor ou pagar parte das prestações no consórcio de imóveis residenciais. Outra permissão é poder transferir a cota, se um imprevisto impedir o consorciado de continuar honrando seu compromisso.

É melhor que deixar de pagar, e perder tempo e dinheiro. Porém, fazer uso do consórcio para desenvolver empresas, talvez seja a benesse mais desconhecida.

Não é o caso da Auto Escola Imperial, do bairro Prado, de Belo Horizonte, que funciona como uma espécie de cooperativa na qual os proprietários dispõem seus recursos ou bens, somando, hoje, 26 veículos, a metade adquirida em consórcios. Tem ônibus, tem motos e tem carros. Uma excelente lição de empreendedorismo.

ALUNO E PROFESSOR
Rodney Pinto de Castro, casado com Patrícia, pai de Lara, João e Luiz, é um desses sócios com longa experiência no ramo e na forma de fazer a empresa prosperar. Para a Imperial, ele trouxe seus 26 anos como instrutor de auto escola e já conta com 24 como proprietário. Ele trouxe também a expertise em consórcios, pois em 1992 já adquiria seu primeiro carro, um Chevette dourado, por meio de um sorteio na 3ª assembleia de seu grupo. Ainda pelo sistema, que ele considera “uma poupança forçada, pois paga mensalmente e não retira o dinheiro sob nenhum dos pretextos da poupança tradicional”, veio, em 1994, o Gol preto, contemplação no extinto Consórcio Lambertucci, da capital mineira.

NÃO PERDE NUNCA
Rodney é um antigo cliente de Cristina Zupo, ex-vendedora de consórcios e atualmente funcionária do departamento jurídico da Multimarcas.

Foi ela quem o convenceu que “consórcio é sempre um bom negócio, principalmente para quem tem um planejamento fi nanceiro, e vai aumentando o seu patrimônio de forma gradual e muito econômica, porque consórcio não cobra juros compensatórios e pratica taxas muito menores que as dos fi nanciamentos tradicionais”.

Por essas e por outras, Rodney e a Auto Escola Imperial tem seis consórcios em andamento, e ele próprio concorre em dois grupos. Não tem erro. O negócio vai crescer cada vez mais.

Lição para empreender